Diretas: por que sim?

Reflete sobre o reingresso do Brasil nos procedimentos democráticos explicando a sua diferença entre desordem e perturbações da ordem pública. Explica que a mobilização do povo é um direito garantido pela a Constituição. Anota que vale pensar que o próximo Presidente da República será escolhido pelo...

Full description

Main Author: Direito, Carlos Alberto Menezes
Format: Outros
Language: Português
Published: 2007
Subjects:
Online Access:
id oai:bdjur.stj.jus.br.BDJURr1:oai:localhost:2011-9391
recordtype stj
spelling oai:bdjur.stj.jus.br.BDJURr1:oai:localhost:2011-93912017-06-20 Diretas: por que sim? Direito, Carlos Alberto Menezes Eleição direta Presidente da República Argentina Democracia Argentina Voto direto Reflete sobre o reingresso do Brasil nos procedimentos democráticos explicando a sua diferença entre desordem e perturbações da ordem pública. Explica que a mobilização do povo é um direito garantido pela a Constituição. Anota que vale pensar que o próximo Presidente da República será escolhido pelo voto direto e livre do povo brasileiro. Fala de desenvolvimento em liberdade sob o primado da justiça social, como sendo o único resultado previsto pelos que, com devotamento e esperança, saem às ruas para defender as eleições diretas para Presidente da República. 2007-05-11T18:41:44Z 2007-05-11T18:41:44Z 1984 Outros DIREITO, Carlos Alberto Menezes. Diretas: por que sim? Brasília, DF,1984. Disponível em: <http://bdjur.stj.jus.br//dspace/handle/2011/9391>. Acesso em: 5 out. 2011. http://bdjur.stj.jus.br/dspace/handle/2011/9391 pt_BR 26016 bytes application/pdf
institution STJ
collection STJ
language Português
topic Eleição direta
Presidente da República
Argentina
Democracia
Argentina
Voto direto
spellingShingle Eleição direta
Presidente da República
Argentina
Democracia
Argentina
Voto direto
Direito, Carlos Alberto Menezes
Diretas: por que sim?
description Reflete sobre o reingresso do Brasil nos procedimentos democráticos explicando a sua diferença entre desordem e perturbações da ordem pública. Explica que a mobilização do povo é um direito garantido pela a Constituição. Anota que vale pensar que o próximo Presidente da República será escolhido pelo voto direto e livre do povo brasileiro. Fala de desenvolvimento em liberdade sob o primado da justiça social, como sendo o único resultado previsto pelos que, com devotamento e esperança, saem às ruas para defender as eleições diretas para Presidente da República.
format Outros
author Direito, Carlos Alberto Menezes
title Diretas: por que sim?
title_short Diretas: por que sim?
title_full Diretas: por que sim?
title_fullStr Diretas: por que sim?
title_full_unstemmed Diretas: por que sim?
title_sort diretas: por que sim?
publishDate 2007
url http://bdjur.stj.jus.br/dspace/handle/2011/9391
_version_ 1673235014605602816
score 12,511034