PORTARIA DIRFO 42/2002

Dispõe sobre a participação em Ações de Capacitação.

Main Author: Direção do Foro (Rio de Janeiro)
Format: Ato normativo
Published: Seção Judiciária do Rio de Janeiro 2002
Subjects:
Online Access:
id oai:bdjur.stj.jus.br.trf2:oai:trf2.jus.br:60510
recordtype dspace
spelling oai:bdjur.stj.jus.br.trf2:oai:trf2.jus.br:605102016-11-29TRF 2ª RegiãoDireção do Foro (Rio de Janeiro)2002-10-08T00:00:00Zhttp://www7.trf2.jus.br/sophia_web/index.asp?codigo_sophia=60510Dispõe sobre a participação em Ações de Capacitação.Portaria no 042-GDF de 10 de setembro de 2002 O JUIZ FEDERAL - DIRETOR DO FORO E CORREGEDOR PERMANENTE DOS SERVIÇOS AUXILIARES DA JUSTIÇA FEDERAL DE 1º GRAU - SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, CONSIDERANDO a necessidade de se promover ações que favoreçam o aprimoramento dos servidores no desempenho de suas atribuições por meio de uma política de capacitação técnica, operacional e comportamental; CONSIDERANDO a realização efetiva do objetivo proposto quando da indicação de servidor para participação em ações de capacitação; RESOLVE: I - São consideradas ações de capacitação: cursos, seminários, congressos, feiras e eventos similares que contribuam para a atualização profissional e o desenvolvimento do servidor e que se coadunem com as necessidades institucionais desta Seção Judiciária. II - Estão abrangidos por esta Portaria os casos de capacitação realizados fora desta Seccional e/ou aqueles realizados por consultor/consultoria externo(a) em suas dependências, cuja participação implique utilização de recursos financeiros desta SJRJ, tais como: pagamento de diária, passagens, taxa de inscrição/matrícula, mensalidades etc., com ou sem afastamento do servidor de suas atividades laborativas. Também estão abarcados os casos em que não haja a utilização dos recursos financeiros supra, mas que exijam o afastamento parcial ou total do servidor de suas atividades laborativas. Parágrafo único. Esta Portaria não engloba as ações internas de capacitação programadas pela área de Treinamento. III - Esta Portaria refere-se ao servidor ocupante de cargo efetivo, inclusive em estágio probatório, ao servidor requisitado de outras instituições públicas e aos funcionários com cargo em comissão. IV - Para efeito desta Portaria, as ações de capacitação classificam-se quanto à carga horária em: - de curta duração (até 20h); - de média duração (+ 20h até 80h); - de longa duração (+ 80h até 240h); - especiais (acima de 240h). V - São pré-requisitos para participação em ações de capacitação: - enquadramento nos critérios estabelecidos pela instituição organizadora quanto ao público-alvo; - concordância da chefia imediata e da direção do setor de lotação do servidor, tendo em vista a pertinência com os serviços realizados; - formalização do compromisso quanto à forma de multiplicação dos conhecimentos; - cumprimento de compromissos decorrentes de participação anterior em ações de capacitação. VI - Para as ações de longa duração e as especiais, além dos pré-requisitos elencados no item anterior, também deve ser considerado o seguinte: - compromisso formal de permanência nesta Seção Judiciária por período equivalente ao prazo de duração do curso freqüentado, a contar da data de encerramento. Parágrafo único. No caso de desistência por livre iniciativa do treinando, licença para tratar de interesse particular ou vacância do cargo público decorrente de exoneração, demissão, aposentadoria, posse em outro cargo inacumulável, remoção a pedido ou redistribuição durante o período de realização da ação de capacitação, deverá ser ressarcida ao erário quantia igual à que foi despendida pela Seção Judiciária. Após o término da ação de capacitação e antes de decorrido o prazo formal acordado para permanência nesta SJRJ, incorrendo o treinando nas hipóteses acima, deverá ser ressarcida ao erário a quantia cujo cálculo levará em consideração, proporcionalmente, o tempo de duração do curso e o tempo decorrido até a data de início do afastamento. VII - As ações de capacitação devem ser solicitadas pelo superior hierárquico imediato do servidor, mediante preenchimento de formulários próprios e encaminhados à área de Treinamento, com prazo mínimo de 20 (vinte) dias de antecedência ao início do curso. Parágrafo primeiro. As ações de capacitação que não ensejem a utilização de recursos financeiros desta SJRJ excetuam-se do prazo referido no caput deste item. Parágrafo segundo. A solicitação de cursos implica a apresentação de justificativa e, para as ações de longa duração e especiais, de proposta de aplicação e detalhamento de objetivos e metas a serem alcançadas, mediante preenchimento de formulário próprio. Parágrafo terceiro. Toda e qualquer ação de capacitação implica comprometimento da chefia imediata, desde a indicação da participação do servidor até a efetiva utilização dos conhecimentos adquiridos (transferência de aprendizagem). VIII - As ações de capacitação referidas no item I e classificadas no item IV comprometem o servidor a multiplicar os conhecimentos adquiridos àqueles que desempenham tarefas afins. IX - São consideradas formas de multiplicação dos conhecimentos adquiridos: - divulgação de material informativo; - emissão e divulgação de relatório, conforme padrão de Comunicações Administrativas disponibilizado pela Intranet desta Seção Judiciária; - atividades expositivas (palestras, cursos, conferências); - grupos de debates, oficinas, reuniões específicas; - aplicação dos conhecimentos no setor. Parágrafo primeiro. Quanto às ações de longa duração e os especiais, não obstante a indicação preliminar feita pelo solicitante, cabe à área de Treinamento referendar a forma de multiplicação dos conhecimentos adquiridos mais adequada, levando em consideração, entre outros aspectos, o ineditismo e a complexidade do conteúdo programático. Na persistência de dúvida, esta deverá ser dirimida pela chefia do setor hierárquico imediatamente superior. Parágrafo segundo. Ao término das ações de média duração, deverá o servidor apresentar um relatório, conforme modelo próprio, em no máximo 20 dias. Para os cursos de longa duração e especiais, no máximo em 40 dias. Parágrafo terceiro. Não obstante a emissão e divulgação de relatório, conforme caput deste item, os cursos de longa duração e os especiais comprometem o servidor a outras formas de multiplicação. Parágrafo quarto. As ações de média e longa duração, além das especiais implicam também o compromisso por parte da chefia imediata de apresentar, após seis meses do término do curso, relatório de impacto com descrição da situação anterior e os resultados obtidos mediante a aplicação dos conhecimentos adquiridos, conforme modelo padronizado. Parágrafo quinto. A impossibilidade eventual de o servidor realizar a multiplicação, conforme descrito no formulário próprio, deve ser comunicada ao superior hierárquico imediato, proponente da ação de capacitação, que deverá analisá-la e, com o servidor, marcar nova multiplicação. X - O servidor deverá providenciar cópia encadernada do material didático e encaminhá-la para a Biblioteca, num prazo de 15 dias após o término da ação de capacitação, informando a área de Treinamento. XI - A hipótese de licença para capacitação de servidor, no interesse da Administração, está regulamentada pela Resolução N. 269, de 06 de agosto de 2002, do Conselho da Justiça Federal. XII - Os critérios dos afastamentos para estudo ou missão no exterior dos servidores ocupantes de cargo efetivo desta Seção Judiciária seguem os termos da Resolução N. 267 de 28 de junho de 2002 do Conselho da Justiça Federal. XIII - Os casos omissos serão avaliados pela Direção do Foro. Esta Portaria revoga a Portaria N. 034-GDF, de 02 de maio de 2001, entrando em vigor na data de sua publicação. PUBLIQUE-SE. REGISTRE-SE. CUMPRA-SE. THEOPHILO ANTONIO MIGUEL FILHO JUIZ FEDERAL - DIRETOR DO FOROSeção Judiciária do Rio de JaneiroAto normativoPORTARIA DIRFO 42/2002TREINAMENTOCURSOCAPACITAÇÃO DE PESSOALCRITÉRIOPARTICIPAÇÃOSERVIDOR PÚBLICO
institution TRF 2ª Região
collection DSpace
topic TREINAMENTO
CURSO
CAPACITAÇÃO DE PESSOAL
CRITÉRIO
PARTICIPAÇÃO
SERVIDOR PÚBLICO
spellingShingle TREINAMENTO
CURSO
CAPACITAÇÃO DE PESSOAL
CRITÉRIO
PARTICIPAÇÃO
SERVIDOR PÚBLICO
Direção do Foro (Rio de Janeiro)
PORTARIA DIRFO 42/2002
description Dispõe sobre a participação em Ações de Capacitação.
format Ato normativo
author Direção do Foro (Rio de Janeiro)
author_sort Direção do Foro (Rio de Janeiro)
title PORTARIA DIRFO 42/2002
title_short PORTARIA DIRFO 42/2002
title_full PORTARIA DIRFO 42/2002
title_fullStr PORTARIA DIRFO 42/2002
title_full_unstemmed PORTARIA DIRFO 42/2002
title_sort portaria dirfo 42/2002
publisher Seção Judiciária do Rio de Janeiro
publishDate 2002
url http://www7.trf2.jus.br/sophia_web/index.asp?codigo_sophia=60510
_version_ 1569662498628435968
score 12,078567